sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O Espelho

Olhar para o espelho e ver, é provável, mas enxergar... Talvez.
Nem sempre que se vê, se enxerga.
Olhar-se no espelho é uma procura, uma viagem que pode levar a lugares nunca vistos ou sentidos. Pode ser que encontres o que não pretendes.
E de que espelho é esse que falas? Do espelho da alma que tudo vê e tudo enxerga sem que os olhos possam controlar. Desse espelho ninguém pode fugir, está cravado feito rocha no subconsciente.
Esse espelho reflete a alma e suas marcas que os olhos não vêem, mas que o coração sente e por elas batem e borbulham o sangue quente que dá vida ao corpo. Ele inverte a imagem de quem o vê, mas não de quem o enxerga.
Olhar para ele, o espelho, e tentar sentir através do túnel dos olhos os sentimentos guardados e talvez até desconhecidos pode levar a caminhos sem volta, mas também de grandes descobertas. Quem arrisca?
O espelho da alma pode mostrar algo que não se quer ver, mas de que não se pode fugir. Pode-se até fechar os olhos, mas continuará lá, refletindo e espalhando a imagem que uma vez gravada não se apaga jamais.
Olhou-se no espelho tão profundamente que nunca mais voltou, ficou lá preso nos reflexos dos sentimentos ora invertidos, ora foscos, ora brilhantes, ora, ora... enxergou-se. Mas quem? Quem é esse? És tu, ou talvez aquele teu outro eu, que se desprende de ti quando queres entender algo que não consegues contar a ti mesmo. E ele ficou lá olhando o mundo através do espelho e gritando para ser ouvido e visto, só que gritou pouco, pois ninguém o ouviu. Tire-o de lá, liberte-o.
O espelho pode levá-lo, mas terás que voltar por si só, ninguém poderá ir buscá-lo.
Cuidado... através dele, do espelho, poderás ir até lá no fundo, bem fundo e encontrar a ti mesmo. E tão profundamente estarás que correrás o risco de não saberes quem és e perderes o caminho de volta. Mas talvez não seja mau. Como não ser mau se posso não voltar? Ficarei perdido? Talvez seja isso que procuras. Talvez precise se perder para se encontrar. Já pensaste nisso?
Entrar no espelho da alma pode ser perigoso ou estimulante? Escuro ou misterioso? Uma procura ou um devaneio? Achar-se ou perder-se? Ah... seriam tantas as formulações e nenhuma teria resposta, ou pelo menos uma só resposta, porque cada um tem as suas tão vastas quanto os reflexos que podem provir do reluzir do espelho que reluz o mistério de cada mente que por ele passa e entrar.
Já se olhaste no espelho hoje?

(venda livro romace Tudo Na Vida É Passageiro: http://www.clubedeautores.com.br/search?what=bia+tannuri)


11-11-2010

2 comentários:

  1. Edmilson Lyra -Didi4 de fevereiro de 2011 19:25

    Bia,
    Finalmente encontro tempo para dar o "ara da graça".
    Parabéns pela iniciativa e coragem de lutar pelo seu sonho.
    Lembro-me de nosso último almoço. Vc falou que iria fazer e fez.
    Para mim, essa é uma condição fundamental para o alcance da felicidade...concluir nossos sonhos e desejos.
    Peço que vc entenda minha falta de tempo, tendo a certeza, que jamais se tornará em esquecimento.
    Saúde e Sucesso.
    Bjs
    Didi

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo Didi,
    Fico imensamente feliz em receber seu comentário. Saiba que você também faz parte dessa minha nova fase, pois foi de você que escutei a primeira opinião de fazer um blog. Quanto a falta de tempo, o que realmente importa é saber que estamos no coração e no pensamento dos amigos. Obrigada. bjs

    ResponderExcluir